O Principe Alegre

Aproveitadora barata de momentos pobres

February 25, 2021

Untitled

ela era grande
voz de quem é grande
gemia grande
sentia tanto prazer?
me arranhava
como uma pessoa grande arranha
um furacão pra quem vê,
e ouve falar.
forte
até me abraçar
e ficar tão fragil
quanto eu.


Untitled

ela veia até nós
ela veio até mim
ela veio sem pretensão.
ela diz que hoje não gosta de crianças também
ela hoje usa vestido
eu gostava de vestido
por que só hoje ela usa vestido?


Untitled

ja serviu de musa para outro alguém
te conheço
de meia distancia
desvio o olhar
não quero ser grosseiro
só não quero querer.
atirada
sem jeito em ser assim
quer querer
desengonçadamente
sexy
eu sei onde isso leva
e não quero querer.


Untitled

descargo emocional ( de consciência nunca)
contração de meses
desatino era obrigação
alcool era obrigação
preservativo mais que obrigação
(boa indole, não?)
descarado,
arrastava o cu no lençol
na cama que nem mesmo era dele.
transa mais torta
que as pernas do garrincha
pau meia bomba
rataria
dormir abraçado
sem calcinha
dormir abraçado é bom
dormir abraçado é muito bom


Untitled

destino dela contra meu acaso
nao te dou adeus porque nao teria remetente


Untitled

quisera eu só sair ” a francesa”
infelizmente só sei falar ”oui”


desastres,desejetos,fluidos

parede branca manchada
mureta tambem, tambem.
pra sempre.
marca de qualquer um,
marcas de quantos forem
que poluem os cenarios
e os tornam vivos,
até depois da morte.


Untitled

contavamos mentiras
eramos bons
cada dia um lugar
cada dia uma pessoa
tantos morreram
tantos foram embora
morremos tantas vezes
nos reinventavamos juntos
até que esquecemos de combinar
e acordamos dois estranhos
sem reação
sem ideia
sem roupas
sem pudor
sem alcool na garrafa
sem café na xicara
nos cumprimentamos
nos despedimos.
saudade de nós
eramos os melhores,
as funerarias teriam enriquecido.
Isabel, o que o houve ao ser?


Textos e notas por aqui e por ali.